Ponta Porã/MS, Domingo, 15 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Segunda-Feira, 17 de Junho de 2019, 14h:56
Tamanho do texto A - A+

Exportação de carne suína tem crescimento de 41% em Maio

A receita do mês avançou atingindo US$ 143,8 milhões.

Flavia Andrade
Capital News

Thiago Gomes/Susipe-PA

Foto ilustrativa de porco, suinocultura, suíno, leitão, agronegócio, rural

A receita do mês avançou atingindo US$ 143,8 milhões.

Durante o mês de maio, as exportações brasileiras de carne suína (in natura e processada) aumentaram 41% em relação ao mesmo período do ano passado, onde atingiu 67,2 mil toneladas, segundo informação da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Em maio do ano passado, haviam sido exportadas 47,7 mil toneladas.

 

Ainda durante o mês de maio, a receita do mês avançou ainda mais alcançando os US$ 143,8 milhões, ganho de 54,6% ante os US$ 93 milhões de maio de 2018. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, o volume de carne suína exportada subiu 16,3% considerando o mesmo período de 2018, chegando a 282,9 mil toneladas. O saldo cambial subiu 11,9% no mesmo período, para US$ 562 milhões.

 

A China, País onde os suínos vem sendo fortemente afetado pela peste suína africana, aumentou substancialmente suas compras dos produtos brasileiros. Em maio importou 21,1 mil toneladas, 51% a mais do que no mesmo mês do ano passado. O país teve participação de 31,9% nos embarques do produto brasileiro.

 

Para o presidente da ABPA, Francisco Turra, "A questão sanitária vivida pela produção chinesa dá sinais mais fortes no ritmo de importações. A fatia da participação chinesa nas exportações brasileiras é a maior já registrada", declara.

 

Além da China, o Vietnã, que também sofre com a peste, teve aumento de quase 7.000% nas compras. Em maio do ano passado, o país importou 26 toneladas de carne suína brasileira; no mesmo mês deste ano, comprou 1,82 mil toneladas do produto. O Chile aumentou suas compras em 99% no período, chegando a 4,1 mil toneladas em maio.

 

Segundo o diretor executivo da ABPA, Ricardo Santin, "Outros mercados relevantes para o Brasil, como Hong Kong (+1%), Angola (+75%), Uruguai (+68%) e Argentina (+54%) também incrementaram suas compras em maio", conclui.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix