Ponta Porã/MS, Domingo, 25 de Agosto de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Sexta-Feira, 14 de Junho de 2019, 17h:38
Tamanho do texto A - A+

Agronegócio tem saldo na balança de US$ 8,6 bilhões em maio

Os principais produtos foram, a carne bovina e suína in natura, celulose e café verde

Flavia Andrade
Capital News

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Agronegócio tem saldo na balança de US$ 8,6 bilhões em maio

Os principais produtos foram, a carne bovina e suína in natura, celulose e café verde

 

Em maio deste ano, as exportações do agronegócio foram de US$ 9,80 bilhões com recuo de 1,7% em relação ao mês de 2018. A redução das exportações ocorreu principalmente em função da diminuição do índice de preço dos produtos de exportação do agronegócio brasileiro, de 9,1%. Segundo a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o índice de quantum (volume) contribuiu para evitar uma queda maior do valor exportado, registrando elevação de 8,1%.

 

Conforme informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a participação do agronegócio na balança comercial brasileira de maio recuou de 51,6% para 46,1%, devido à queda das exportações do agronegócio em 1,7% e a elevação das exportações dos demais setores em 22,5%

 

As importações de produtos do agronegócio subiram de US$ 1,08 bilhão em maio de 2018 para US$ 1,18 bilhão em maio de 2019. Apontando o saldo da balança comercial do Agronegócio em US$ 8,6 bilhões.

 

Alguns produtos agropecuários obtiveram recorde em quantidade de vendas ao exterior para o mês de maio, desde a séria histórica de 1997, foram a carne bovina e suína in natura, celulose e café verde.

 

Já as vendas externas de carne bovina in natura alcançaram 123 mil toneladas, com destaque para três mercados: Emirados Árabes (+7,8 mil toneladas), Rússia (+7,1 mil toneladas) e China (+6,2 mil toneladas).

 

Com relação à carne suína, os casos de Peste Suína Africana (PSA) já estão gerando impacto nas exportações brasileiras, de acordo com a SCRI/Mapa. Alguns mercados mereceram evidência quanto ao incremento da quantidade exportada em maio: China (+7,2 mil toneladas), Rússia (+3,1 mil toneladas), Chile (+2,1 mil toneladas) e Vietnã (+1,8 mil toneladas).

 

A celulose foi o principal produto exportado pelo setor de produtos florestais, com recorde na quantidade exportada de 1,58 milhões de toneladas para maio. Também o valor de US$ 859,18 milhões em celulose (+18,0%) foi recorde. Praticamente a metade das exportações de celulose brasileira foi adquirida pela China, que comprou US$ 413,52 milhões do produto (+52,3%) ou 784,5 mil toneladas.

 

O café exportado pelo Brasil atingiu cerca de US$ 438,3 milhões (+71,7%), com forte expansão da quantidade exportada de 205 mil toneladas do grão (125%), embora os preços internacionais dos produtos do setor tenham caído, em média, 23,7%. O café verde teve incremento de 130% na quantidade embarcada, recorde para todos os meses de maio, desde 1997, totalizando 196 mil toneladas.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix