Ponta Porã/MS, Segunda-Feira, 17 de Fevereiro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Terça-Feira, 28 de Janeiro de 2020, 13h:09
Tamanho do texto A - A+

Suposto líder do PCC tem prisão preventiva decretada

Acusado foi preso por porte ilegal de arma, teve fiança arbitrada, mas foi barrado pela Polícia Federal

Elaine Silva
Capital News

Divulgação

 Edson Barbosa Salinas

Edson Barbosa Salinas

Foi decretada nesta segunda-feira (27) a prisão preventiva de Ederson Salinas Benitez, 32 anos, apontado apontado como sucessor de narcotraficante Sérgio de Arruda Quintiliano Neto, o Minotauro’ e um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele foi detido por porte ilegal de arma, apresentou documentos falsos em nome de Edson Barbosa Salinas, 32 anos, teve fiança de R$ 80 mil paga, mas foi barrado pela Polícia Federal. 

 

O juiz Marcelo Guimarães Marques de Pontas Porã, que decretou prisão preventiva. O Ministério Público que enviou a 2º Vara Criminal a suspeita da descoberta pela Polícia Federal de que Edson usava nome falso, na verdade sua identidade verdadeira seria Ederson Salinas Benitez, e que antes do réu ser solto deveria haver esclarecimento da informação.

 

Caso 

Após se envolver em briga de trânsito na cidade de Ponta Porã, o narcotraficante Edson Barbosa Salinas, 32 anos, o “Salinas Riguaçu”, foi preso em flagrante no último domingo (19). Edson é apontado como substituto do narcotraficante Minotauro. Ele deverá ser transferidos para presídio de Mato Grosso do Sul. Conforme o site Capitan Bado, Salinas Riguaçu estava acompanhado do comparsa Rodrigo Antunes Flores. Com eles, os policiais encontraram US$ 4 mil e R$ 1 mil em espécie.  

 

Fiança

A liberdade  de Edson veio após a Justiça de Ponta Porã fixou a fiança de R$ 80 mil, que foi paga em dez boletos de R$ 8 mil. Os dez boletos foram pagos por Edson. Ele iria ser solto mediante medidas cautelares.

 

Polícia Federal 

Após o pagamento de R$ 80 mil do suposto sucessor do narcotraficante Minotauro, a Polícia Federal, em atuação conjunta com a Polícia Civil, outras forças de segurança e Autoridades Paraguaias, descobriu que Edson Barbosa Salinas, 32 anos, apresentou documentos pessoais falsos quando de sua prisão. Segundo informações, após o recebimento dos novos fatos pelo Poder Judiciário, foi decidido pela não expedição de alvará de soltura. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix