Ponta Porã/MS, Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Terça-Feira, 01 de Dezembro de 2020, 13h:10
Tamanho do texto A - A+

Casal suspeito de estupro contra os próprios filhos é preso

Autores também são acusados de outros abusos

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/PCMS

Casal suspeito de estupro contra os próprios filhos é preso

Caso aconteceu na cidade de Selviría

Nesta terça-feira (1)  a Delegacia de Polícia de Selvíria, deu cumprimento a dois mandados de prisão, cujo alvo era um casal que, por anos, submetia os próprios filhos a abusos. 

 

A polícia foi comunicada pelo Conselho Tutelar local de que no assentamento Canoas um pai estaria praticando abusos contra os filhos. Com o homem de 43 anos conviviam a esposa de 36 anos e quatro filhos (dois meninos de 4 e 17 anos e duas meninas de 11 e 14 anos).

Divulgação/PCMS

Casal suspeito de estupro contra os próprios filhos é preso

Polícia busca por outras vítimas

 

As investigações apuraram que o adolescente de 17 anos era, constantemente, vítima de maus-tratos praticados pelo pai, apresentando, inclusive, lesões pelo corpo. Conforme a Polícia Civil, em escuta especializada, a adolescente de 14 anos relatou, ainda, que sofria abusos sexuais, desde os 11 anos de idade, e o autor também seria o pai.

 

Diante dos fatos narrados foi requisitado exame de corpo de delito, que confirmou a suspeita. Constatou-se, ainda, que a outra menina, de 11 anos, também tinha sido vítima de abusos sexuais. Durante todos os anos de abusos físicos e psicológicos sofridos pelos filhos, a mãe teve ciência e nunca denunciou, pediu ajuda ou tentou impedir que os crimes acontecessem. A Polícia Civil, então, representou pela prisão preventiva do pai por estupro de vulnerável e maus-tratos, assim como da mãe, pelos mesmos crimes, pois tinha obrigação legal de defender os filhos e, ao se omitir, permitiu a prática reiterada dos delitos.

 

A delegacia apura ainda outros delitos da mesma natureza, praticados pelo homem e já localizou outra vítima, hoje adulta, mas que foi violentada quando criança. 

 

Serviço

A Delegacia solicita quem tiver informações sobre esse ou outros casos, procure a unidade policial ou denuncie através do whatsapp (67)3579-1166. É garantido o sigilo da fonte.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix