Ponta Porã/MS, Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Esporte
Domingo, 04 de Agosto de 2019, 08h:36
Tamanho do texto A - A+

Morenão será palco de grandes eventos, diz secretário

Assis não fala em datas e valores e reitor diz que alinhamento com Governo ainda não aconteceu

Elaine Silva e Rogério Vidmantas
Capital News

Deurico/Capital News

Foto ilustrativa do morenão, estádio Pedro Pedrossian

Estádio Morenão, em 2020 somente Operário e Comercial jogarão a Série A do Estadual 

O Estádio Morenão voltou a ser assunto nesta semana, com promessas de recuperação e utilização como espaço de grandes eventos além do futebol. Pelo menos essa é a intenção do Governo Estadual e da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), responsável pela praça esportiva, que mais uma vez está interditada para receber jogos em competições oficiais e outras atividades.  Faltam adequação às novas legislações de segurança e laudos diversos que devem ser analisados pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Deurico Ramos/Capital News/Arquivo

Carlos Alberto Assis

Secretário Carlos Alberto Assis 

 

O investimento para isso, mais uma vez, é promessa do Governo Estadual. Em entrevista à TV Educativa, o Secretário de Governo, Calos Alberto de Assis disse que trabalha com o aval de Reinaldo Azambuja no caso, porém sem citar valores ou prazos. “Estamos trabalhando com a autorização do nosso governador para que a gente possa buscar uma solução e ter o Morenão como palco dos grandes eventos futebolísticos e culturais do Mato Grosso do Sul".

Segundo ele, o caminho é preparar o Pedro Pedrossian para ser um espaço multiuso, como acontece em outros grandes estádios. "O Morenão vai ser o grande centro de eventos da Capital, vamos preparamos para shows e outros eventos. Hoje percebemos que os grandes estádios vivem de atrações extras. Vamos deixá-lo pronto para o futebol, mas com outra vertente, vamos levar para lá alguns órgãos de governo e outras atividades e dar vida para o Morenão que é o grande palco para o futebol”, disse.

UFMS


Os problemas na liberação do Morenão passaram a ser constantes desde 2014, após a disputa do Estadual vencido pelo Cene. Durante três anos o local ficou impedido de receber jogos e, em 2017, em ação da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS) e UFMS, voltou a ser liberado parcialmente, sempre com a promessa de que, com o apoio do Governo Estadual, passaria pelas reformas necessárias para ser utilizado em todas as dependências, o que até o momento não aconteceu.

Desde então, o MPE tem aceitado medidas paliativas para ter o estádio durante o Campeonato Estadual, mas, como acontece esse ano, ele é interditado em seguida, impedindo a realização de outras competições, como aconteceu com o Operário FC na Série D do Brasileiro e ABC, agora na Copa Verde, mandando seus jogos no gramado irregular do Jacques da Luz ou fora da Capital.

Deurico/Capital News

Morenão será grande palco de eventos, diz secretário

..

 

Conforme o reitor da UFMS, Marcelo Turine, durante a abertura da 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Progresso da Ciência (SBPC), a Universidade tem investido na revitalização do espaço externo ao estádio com o objetivo de se criar uma grande área de lazer para comunidade e há um ano e meio busca parceria público e privado em prol do Morenão para a questão de futebol. "O nosso objetivo é buscar os parceiros, para conseguir fazer esse grande estádio, grande estrutura ser de uso para a sociedade como um todo", relatou.

Segundo Turine, para que isso seja possível, é inevitável que Federação, Governo e Prefeitura atuem junto com a Universidade na captação de recursos e, no momento, ainda não estão alinhados neste sentido. "Hoje não temos recursos nenhum para revitalizar o Morenão, estamos buscando parceiros", complementa Turine.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix