Ponta Porã/MS, Terça-Feira, 28 de Setembro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sábado, 04 de Setembro de 2021, 11h:21
Tamanho do texto A - A+

Casal acusado de matar servidora é condenado a 30 anos de prisão

Crime aconteceu em 2019 na cidade de Porto Murtinho

Elaine Silva
Capital News

Reprodução/Facebook

Casal que matou servidora em MS vai a júri popular

Regiane e o comparsa José

Casal acusado de matar a servidora pública Nathália Alves Correa Baptista, de 27 anos, José Romeiro e Regiane Marcondes Machado foram condenados a 30 anos e 3 meses de prisão, nesta sexta-feira (3), em júri popular. Crime aconteceu no dia 15 de julho de 2019 na cidade de Porto Murtinho. 

Reprodução/Facebook

Corpo de servidora foi incinerado

Nathália Alves Corrêa Baptista

 

Nathália foi vista pela última vez na casa de uma amiga, para a qual teria dito que iria em uma pousada de Porto Murtinho, encontrar com José, com quem mantinha um relacionamento. Depois disso, como Nathália não retornou para casa, a família procurou a polícia para denunciar o desaparecimento.

 

Regiane também mantinha um relacionamento com José, as duas haviam se desentendido meses antes e que no dia em que Nathália desapareceu, ela foi chamada na pousada pelo amante, que era administrador do local, onde já teria encontrado a vítima sem vida.

 

A acusada afirmou na época que para proteger o amante, ajudou no transporte do corpo para uma residência do Bairro Nossa Senhora Aparecida, em Porto Murtinho, onde foi incinerado, pelo casal, sob forte combustão e por várias horas.  As cinzas mortuárias da vítima teriam sido armazenadas em sacos e vasilhames e em seguida jogadas no rio Paraguai, na tentativa de ocultar o crime. O local onde o corpo foi queimado foi concretado, com a construção de uma pequena área de lazer.

 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix