Ponta Porã/MS, Domingo, 08 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sexta-Feira, 14 de Junho de 2019, 08h:54
Tamanho do texto A - A+

Após quatro horas parados os ônibus voltam a circular

Manifesto foi em apoio a greve geral contra a Reforma da Previdência

Elaine Silva
Capital News

 

Anderson Ramos/Capital News

Ônibus, bancos e escolas participam de greve nacional

O dia começou com terminal vazio

Dia 14 de março é o dia marcado para a Greve Geral contra Reforma  da Previdência  e em apoio as categorias o transporte coletivo de Campo Grande parou por três horas pegando muitos usuários de surpresa. Os ônibus voltaram a circular as 7h20, sendo que em horário normal sairiam das garagens as 4 horas.  

 

Com a paralisação diversos funcionários que não tiveram o dia emendado por causa do feriado de Santo Antônio, em Campo Grande, foram surpreendidos ao chegar nos pontos de ônibus e o transporte coletivo não passar, pois não houve informação que os ônibus iriam parar. 

 

O diretor do Consórcio Guaicurus, João Rezende foi até a garagem da Viação São Francisco e conversou com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande (STTCU) Demétrio Ferreira Freitas. O presidente do Consócio classificou a paralisação como “desrespeitosa e bruta” e sem justificativa  suficiente para parar toda a cidade por causa do protesto. “O motivo pode até ser justo, mas é desproporcional parar uma cidade inteira”, diz Rezende. 

 

Greve -  Diversas cidades brasileiras registram paralisações em serviços públicos e protestos, onde os trabalhadores lutam contra os cortes do governo na educação e contra a Reforma da Previdência. Ao menos 16 estados e o DF foram afetados.

Deurico Brandão/Capital News

Foto Ponto de ônibus Cheio

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix