Ponta Porã/MS, Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Segunda-Feira, 05 de Março de 2018, 17h:36
Tamanho do texto A - A+

Implantação de portos secos em Mato Grosso do Sul ganha apoio no Senado

Moka resolve “abraçar”a luta de Ponta Porã por sistema que reduz tempo e custo do despacho aduaneiro

Flávio Brito
Capital News

 

Divulgação/Assessoria

Implantação de portos secos em Mato Grosso do Sul ganha apoio no Senado

...

A implantação de portos secos em Mato Grosso do Sul ganhou ainda mais apoio no Senado. O senador Waldemir Moka (MDB-MS) resolveu “abraçar” a luta de Ponta Porã pela implantação, convencido de que o projeto abre caminhos para novos negócios e empregos na fronteira, conforme divulgação feita pela assessoria do parlamentar. 

 

“E é isso que a nossa juventude está precisando: novas oportunidades de renda”. Moka pretende promover reunião em Brasília com os interessados e a Receita Federal para iniciar as bases de uma discussão “sólida e realista, porque vencer a barreira das Aduanas é um alvo importante”, assinalou.

 

Moka disse que o prefeito Hélio Peluffo está muito certo ao “buscar alternativas inovadoras para o desenvolvimento da fronteira”. Os portos secos geram redução do custo da armazenagem, na velocidade do desembaraço aduaneiro e nos custos do transporte internacional, facilitando o comércio entre os países.

 

O Porto Seco é um recinto alfandegado, onde se realizam operações de movimentação, armazenagem e despacho de produtos controlados pela aduana. Ele situa-se em zona secundária do território aduaneiro e é destinado à prestação de serviços públicos, efetuado por terceiros.

 

Atualmente, no Brasil, há 36 Portos Secos, que têm o objetivo interiorizar e reduzir custos logísticos e agilizar os trâmites da aduana nos portos e aeroportos. Em Mato Grosso do Sul existe apenas um Porto Seco implantado, no município de Corumbá, administrado pela AGESA – Armazéns Gerais Alfandegados de MS Ltda. No Brasil, os portos secos movimentam cerca de 30% do comércio exterior, tendo destaque no agronegócio, indústria calçadista e equipamentos de informática, gerando diversos empregos diretos e indiretos. 

 

Moka vai lutar pela liberação da Receita para implantar o Porto Seco de Ponta Porã, que fica mais viável com a abertura do corredor logístico de exportação de grãos via Porto de Concepción, no Paraguai.

 

Moka assinala que o Paraguai oferece um ambiente cada vez mais favorável à atração de investimentos estrangeiros, principalmente após a edição da Lei de Maquila que já atraiu cerca de 124 indústrias,  das quais e 80% são brasileiras. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix