Ponta Porã/MS, Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018 | 05:47
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quarta-Feira, 30 de Maio de 2018, 12h:02
Tamanho do texto A - A+

Ao lado de recado de “justiceiros”, rapaz é achado morto sem as mãos e pés algemados

No cenário do crime foram encontradas duas algemas, uma máscara e um relógio

Laura Holsback
Capital News

Oásis

Ao lado de recado de “justiceiros”, rapaz é achado morto sem as mãos e pés algemados

O corpo da vítima foi achado na manhã desta quarta-feira

Eduardo Cordoba Aquina, de 20 anos, foi achado morto com as mãos arrancadas e os pés algemados, na manhã desta quarta-feira (30), em matagal à margem da BR-463, em Ponta Porã. Ao lado do corpo havia um recado de supostos “justiceiros”. 

 

De acordo com Boletim de Ocorrência, investigadores foram acionados por meio de denúncia de que no local havia uma pessoa morta. Perto acontecia a manifestação de caminhoneiros e alguns foram questionados se viram algo de suspeito na madrugada. Um dos protestantes contou ter visto um veículo pela região por volta das 3h30, mas não soube dizer o modelo do carro.

Porã Informa

Ao lado de recado de “justiceiros”, rapaz é achado morto sem as mãos e pés algemados

Cartaz diz que crime foi cometido por justiceiros

 

Ainda de acordo com o registro policial, Eduardo estava com as duas mãos dilaceradas, os pés algemados e um corte profundo na nuca. Junto ao corpo havia cartaz escrito em espanhol. A mensagem dizia que o assassinato havia sido cometido em justiça à cidadania por causa de roubos que têm sido cometidos na fronteira. “Aviso geral: la cidadania piolio y volvimos. Estamos para la justiça de la cidadania, ya no robo y assaltos em la fronteira. Att. justiceiros de la fronteira, volvimos... no mas robos em la fronteira”, dizia o texto. 

 

Também no cenário do crime foram encontradas duas algemas, uma máscara e um relógio. Inquérito policial foi aberto para investigação. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix