Ponta Porã/MS, Quarta-Feira, 24 de Julho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Nacional
Quarta-Feira, 27 de Março de 2019, 13h:37
Tamanho do texto A - A+

Petrobras anuncia reajuste do diesel com intervalo mínimo de 15 dias

Empresa irá ofertar cartão para caminhoneiros garantindo preço fixo nos postos BR.

Flavia Andrade
Capital News

Divulgação/Petrobras

Produção de petróleo cresce 4,8% em dezembro, mas cai 1% em 2018

Empresa irá ofertar cartão para caminhoneiros garantindo preço fixo nos postos BR.

 

Nesta terça-feira (26), a diretoria da Petrobras aprovou mudanças na periodicidade de reajuste nos preços do diesel vendido para as refinarias. Os preços passarão a ser reajustados a cada 15 dias.

 

Anteriormente,o combustível era reajustado em intervalos menores, desde o fim do programa de subsídios lançado pelo governo após a greve dos caminhoneiros.

 

Apenas em março, foram realizados 5 reajustes no preço do diesel, sendo 4 aumentos e duas reduções. No ano, o preço médio do diesel nas refinarias acumula alta de 18,48%.

 

Já nos postos, o preço médio do litro do diesel no país subiu 0,1% na semana passada, para R$ 3,540, segundo levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP). No ano, entretanto, a alta é menor que o verificado nas refinarias, de 2,6%.

 

Conforme a Petrobras, os preços do diesel nas refinarias correspondem a cerca de 54% do valor cobrado na bomba ao consumidor final.

 

A empresa anunciou a produção de um Cartão Caminhoneiro, junto da medida, segundo a estatal, o cartão está sendo produzido pela subsidiária Petrobras Distribuidora S.A. (BR), para daqui a 90 dias, o qual viabilizará a compra por caminhoneiros de litros de diesel a preço fixo nos postos com a bandeira BR (Cartão Caminhoneiro).

 

De acordo com a estatal, "O cartão servirá como uma opção de proteção da volatilidade de preços, garantindo assim a estabilidade durante a realização de viagens".

 

Continuará sendo utilizado os  mecanismos de proteção financeira, como o hedge com o emprego de derivativos, cujo objetivo é preservar a rentabilidade de suas operações de refino.

 

Ainda conforme comunicado, "Ficam mantidos os princípios que balizam a prática de preços competitivos, como preço de paridade internacional (PPI), margens para remuneração dos riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado".

 

Também será mantida a paridade internacional, evitando práticas que poderiam caracterizar monopólio, já que possui 98% da capacidade de refino do Brasil.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix